Várias Entidades Representativas assinam documento pela abertura total do comércio de Juína a partir da segunda-feira

Por Assessoria Ascom/CDL 04/04/2020 - 20:06 hs

  Empresários de pequeno e médio porte, além de grande parte da população, clamam através das redes sociais, pela abertura total do comércio local, para poderem voltar a trabalhar.

  Diante da notícia veiculada pela imprensa local, das entrevistas concedidas pelo Excelentíssimo Promotor de Justiça, tanto na rádio, quanto em vídeos que circularam no aplicativo WhatsApp  e diante da Live veiculada pelas redes socias, em especial via Facebook, com a presença do Prefeito Municipal de Juína e Secretária de Saúde, informando o que seria permitido no novo decreto municipal, com relação ao fechamento/abertura dos comércios, várias entidades se manifestaram PROTESTANDO, pois o documento “REQUERIMENTO E SUGESTÕES” apresentado por elas anteriormente, com sugestões à abertura total do comércio, NÃO FOI ATENDIDO.

  Os representantes ressaltam que o documento protocolado pelas entidades pede a abertura de TODO O COMÉRCIO, desde que cada empresário siga as restrições e exigências impostas pelas autoridades de saúde e o comitê local que trata do COVID-19, primando assim, pela saúde da população e podendo manter ativa a economia de Juína.

  Importante ressaltar que o documento de REQUERIMENTO E SUGESTÕES quando apresentado, a informação inicial era de que ele não seria atendido em sua totalidade, mas seria analisado pelo Poder Executivo, com “ciência do Ministério Público”.

  Ante a manifestação do representante do Ministério Público, na reunião do dia 31/03, de que as cidades que estavam com seu comércio em funcionamento seriam acionadas judicialmente, por seus respectivos Promotores de Justiça, pedindo o seu fechamento, foi opinado pela flexibilização do Decreto Municipal e acompanhamento ao Decreto da capital Cuiabá, que já se tornava mais flexível que o de Juína.

  Com o passar da semana, vimos que todas as cidades que estão com a abertura do comércio autorizada, permaneceram em atividades normais e sem a intervenção do Ministério Público, o que nos da entender que isso também é possível aqui em Juína.

  Considerando que o estado flexibilizou o transporte intermunicipal de pessoas e os demais municípios da região, além de todas as cidades polos estarem com seus comércios de portas abertas e trabalhando, parece ficar condicionado apenas à população de Juína experimentar, de portas fechadas, os impactos econômicos causados por esta crise.

  Diante de tudo isso, várias entidades que já no dia 31 de março haviam assinado o documento de Requerimento e Sugestões*, solicitaram novamente a revisão do decreto, permitindo que todas as empresas possam abrir suas portas para atendimento ao público, seguindo as recomendações impostas pelo município, através do COE JUÍNA-COVID-19.

confira o documento: