Prefeitos de cidades sem coronavírus terão que justificar fechamento, diz governador

Por olhar direto 26/03/2020 - 15:44 hs

  Os prefeitos de Mato Grosso terão que justificar no campo ecônomico e social o motivo que fecharam suas cidades, em casos de isolamento em prevenção ao coronavírus, a partir desta quinta-feira (26). A determinação é do governador Mauro Mendes (DEM), que quer evitar um possível colapso da enconomia das cidades do interior.

  Segundo o governador, o único isolamento liberado é o social, pois o novo decreto libera as atividades econômicas para que quem esteja fora do grupo de risco de contaminação do Covid-19. "Quem puder trabalhar, que seja com prudência, cumprindo as determinações de higiene e responsabilidade. Queremos que a coisa seja correta. Não adianta tomar decisões midiáticas", disse o governador. 

  A fala do governador aconteceu durante coletiva on line via redes sociais nesta quinte-feira (26). Mauro Mendes é enfático ao dizer que se o prefeito da cidade interiorana parar as atividades do município, ele precisará se justificar técnicamente.

  "Se o prefeito de uma cidade parou as atividades antes de chegar o primeiro caso de coronavírus, ele vai ficar parado 90 dias ou 120 dias. Será que o cormerciante aguenta ficar 90 dias parado? Muito mais importante que parar é manter o distanciamento social, proteger o idoso e continuar o trabalho. Se fizer diferente, vai ter que justificar. Não é porque São Paulo parou, que Brasnorte tem que parar. Apenas um exemplo, mas os casos são totalmente diferente", comentou o governador. 
 
  O governador ainda criticou quem defende o isolamento social. Segundo Mendes, a maioria das pessoas que defende isso tem dinheiro no banco e comida nas prateleiras. 
 
  "Nós precisamos fornecer comida para a população. Tem pessoas defendendo ficar dentro de casa, mas estão com as prateleiras da casa cheia de comida. Tem dinheiro no banco. Mas tem milhares e milhares de pessoas que não tem isso, não tem essa condição e precisam trabalhar. Temos que ter cuidado", completa.

  Sobre as pessoas nas ruas, trabalho informal ou volta dos alunos para a rede de ensino, o governador foi enfático novamente. "Precisamos de um isolamento responsável, desde que haja higiene e assepsia. As aulas estão suspensas até o dia 5 de abril. Até lá, vamos saber o que o período indica. Queremos que a população entenda que o necessário agora é que a economia não entre em queda e haja um isolamento econômico", concluiu. 

  Atualmente, Mato Grosso contabiliza nove casos de coronavírus confirmado, mas nenhum internado em estado grave. Mauro Mendes ainda diz que não adianta a população achar que o estado inteiro vai ter respirador a mais, vai ter UTI a mais devido o aumento de casos no mundo. "Vamos tomar medidas para salvar vidas. Mas, não adianta achar que em todos os lugares vamos colocar respiradores ou ampliar o número de UTI. Por hora, estamos organizando os hospitais do estado, manter EPIs, dentro de um planejamento técnico e seguindo normas da Organização Mundial de Sáude".